" A educação marca os sujeitos enquanto semelhantes. Porém , sermos semelhantes não significa que sejamos todos iguais ou que  cada um seja a réplica de um outro" ( Lajonquière:38).
 
         Para  a criança chegar  à compreensão do processo de alfabetização, ela passa por um processo evolutivo que se inicia no rabisco, vai até a descoberta de que as letras representam aspectos sonoros da palavra para depois ,entender  a representação alfabética.     
        Partindo deste princípio as atividades realizadas  com Gabriel e com toda a turma,  inicia -se  por algo que tenha significado, que é a escrita do  próprio nome e do nome dos colegas.
        O trabalho de leitura e escrita, utilizando o computador deu voz e vez a Gabriel,  apresentando assim um  crescimento pessoal e grande independência.
          Levar o aluno a participar de forma atuante  em seu processo de aprendizagem, expressando opiniões e idéias, contribui para o desenvolvimento de uma auto-imagem positiva. Ele se sente seguro e valorizado. Assim é Gabriel , alegre , participativo, dinâmico.
 

ENTREVISTA REALIZADA COM A PROFESSORA TATIANY  ESCOLA SESI - ITAPERUNA-RJ

 
Entrevista realizada com a professora Tatiany, tendo como aluno Gabriel Macedo de 6 anos de idade  da Classe de Alfabetização da Escola SESI , situada em Itaperuna, com deficiência  - Paralisia cerebral , com cognição normal. Apresenta dificuldade na fala  e em segurar objetos pequenos, utiliza a cadeira de rodas para se locomover.
1) Sua preparação prévia para iniciar o processo educacional com este aluno.
R Cursos e seminários sobre inclusão e pesquisas.
2) Diagnóstico das condições do aluno, que sejam, importantes para sua integração na sala de aula.
R.: Não foi apresentado o  diagnóstico do médico, apesar da escola já ter pedido aos pais , o que tem contribuído de maneira satisfatória para a integração do aluno é a receptividade carinhosa, atenção, amizade   que encontrou por parte de todos da escola.      
       Seu processo de adaptação   está  sendo  diário, com a ajuda de todos, sem nenhum problema e constrangimento, Gabriel é alegre e participativo A cada dia descobrimos coisas novas e o mais importante  é que temos a certeza que somos todos Especiais aos olhos de Deus e que ninguém é igual a ninguém.  
3) Adaptações físicas da sala.
R.: Foram realizadas adaptações na sala e na escola:   ampliação das portas, construção de rampas, adaptação do banheiro.
4) Instalação de artefatos tecnológicos necessários.
R.:  Mesa  adaptada e está sendo providenciada equipamentos para informática e lápis adaptado
5) Solução para entraves ao desenvolvimento didáticos devido à deficiência.
R Como o aluno não escreve, utilizamos na maioria das atividades o material concreto e visual, além de músicas e pequenos textos.
6) Ações de acolhimento coletivas, que incluam os demais alunos e outros atores da escola.
R.: O aluno foi recebido com entusiasmo  entre os alunos e demais profissionais da escola. Quando ele chegou a escola em 2006 foi realizado um trabalho específico(projeto) para  todos os envolvidos no processo educativo ( pais , alunos, apoio, professores) o receberem com carinho e sem preconceito.
7) Desenvolvimento de atividades visando integração com os outros alunos.
R.: Além das atividades individual e específica que o aluno realiza, o mesmo participa das atividades em grupo, tais como: oficina de artes, informática, jogos, textos coletivos, atividades orais etc...
8) Execução de exercícios e provas.
R As atividades são diferenciadas e com objetivos específicos e a avaliação é contínua , todos os dias, levando em conta cada progresso alcançado pelo aluno e fazendo o registro do mesmo . Não são realizadas avaliações por escrita
9) Trabalhos cooperativos com outros alunos.
R:A integração do grupo é total e  geralmente são realizadas atividades em que o aluno é inserido e o mesmo ajuda e é ajudado.
10) Avaliação do aluno.
R.: Avaliação contínua em todo o processo
11) Interação com a família do aluno.
R A família é participativa e contribui realizando acompanhamentos que ajudam no desenvolvimento do aluno ( fonoaudiólogo, fisioterapeuta, neuropediatria etc. )
12) Observação:
R.:     O aluno não tem musculatura fina habilitada para escrever, utilizamos o alfabeto móvel, materiais concretos(escala de cusinaire, tampinhas, letras móveis..) , tinta 
Sabemos que o aluno tem seu tempo e limitações, mas estamos confiantes no seu sucesso.